Este Blogue transmite notícias/informações sobre as escolas do Agrupamento Pedro Jacques de Magalhães de Alverca, a toda a Comunidade Educativa.

31
Mai 12

O Departamento de Ciências Sociais e Humanas apresentou, em colaboração com o Ensino Pré-escolar e com o 1º Ciclo, uma exposição subordinada ao tema "O Mundo aos Pedacinhos".

 

 

 

Esta exposição, constituída por trabalhos de alunos de todos os níveis de ensino do Agrupamento de Escolas Pedro Jacques de Magalhães, visou a construção de puzzles/maquetas tendo como base conhecimentos adquiridos nas aulas das diversas áreas de conteúdo e nas disciplinas de HGP, História e Geografia.

 A exposição esteve patente no átrio principal da Escola Básica Pedro Jacques de Magalhães entre os dias 21 a 25 de maio de 2012. Para além da observação dos diferentes trabalhos, os alunos tiveram oportunidade de efetuar a construção de alguns puzzles em exposição.

 

Editado Por: Ines Neves e Debora Patricia

publicado por jornalpjm às 13:03

As Assistentes Operacionais do Agrupamento apresentaram, uma exposição, constituída por trabalhos elaborados à mão entre os dias 21 e 25 de maio de 2012.

 A referida mostra de trabalhos esteve patente no átrio da Papelaria da Escola Básica Pedro Jacques de Magalhães.

 

 

 

 

 

 

 

Editado por: Maria Ribeiro e Maria Lopes

publicado por jornalpjm às 12:53

 

No dia 7 de Maio de 2012, pelas 11h da manhã, iniciou-se a viagem à Assembleia da República, no âmbito do projeto do Parlamento dos Jovens.

Planeada pelas professoras Ana Cristina Pereira, Elsa Viola e Ana Carvalho, participaram os deputados representantes do distrito de Lisboa alunos da Escola Básica Pedro Jacques de Magalhães, Bruno Miguel e Mariana Vitória.

Após uma atribulada viagem, virtude de um dia que amanheceu com imensa chuva, chegou-se ao destino pretendido, e os deputados representantes dirigiram-se à entrada principal, seguidos dos professores e jornalistas de modo a procederem à necessária acreditação

Entretanto, as diversas comissões de deputados das Escolas foram-se formando pelo que se dirigiram para as respetivas salas de comissões (1, 2, 5 e 6).

Na sala 5, estiveram reunidos diversos distritos, nomeadamente, Lisboa, Viana do Castelo, Portalegre, Aveiro, Leiria e Madeira. A sessão teve início pelas 14h 15min, sendo presidida pelos deputados: Emília Santos (PSD); Michael Seufert (CDS-PP) e Maria João Godinho.

            Os deputados Emília Santos (PSD); Michael Seufert (CDS-PP)                                                                                

 A sessão seria repartida por quatro pontos: apresentação dos projetos (Redes Sociais: Combate à Discriminação); debate dos projetos na generalidade/ votação; pontos de especialidade (discussão) e seleção de três perguntas da autoria dos deputados do Parlamento dos Jovens

Deste modo, cada distrito apresentou as suas medidas / projetos que visaram a importância da Educação; a integração da discriminação nos currículos escolares dos alunos; a criação de flashmobes; a criação e divulgação de campanhas nos meios de comunicação e de medidas de sensibilização; promoção do conhecimento relativo à discriminação; criação de grupos de voluntariado e de uma página oficial portuguesa.

 Iniciou-se o debate, tendo, no entanto, os jornalistas sido “impedidos” de o acompanhar, devido à necessidade de participarem numa visita guiada, que havia sido previamente estipulada.

A visita decorreu na Sala dos Paços Perdidos, e enquanto esperavam, os repórteres exploraram curiosamente os detalhes da sala, nomeadamente, a arquitetura e as pinturas. Entretanto, surgiu a guia que efetuou uma breve descrição e enquadramento histórico do Palácio de São Bento.

   Sala dos Paços Perdidos        

  Sala do Senado

 Seguidamente, os repórteres deslocaram--se para o Hemiciclo (sala onde decorrem as “reais” sessões da Assembleia da República, com a participação de 230 deputados), onde tiveram a oportunidade de circular, explorar e apreciar este espaço. Foram referidos alguns pormenores quanto à função da Assembleia (legislar e fiscalizar) e salientaram-se alguns dos seus membros mais importantes (o Presidente da República; a Presidente da Assembleia da República e o Primeiro Ministro).

Para terminar a visita, os jornalistas tomaram conhecimento dos locais onde se iriam realizar as entrevistas do dia seguinte.

Posteriormente, dirigiram-se à entrada principal onde degustaram um breve lanche.Finalmente, todos os deputados, jornalistas e professores, assistiram ao concerto do “Grupo Coral Kyrios”, seguindo-se o jantar, com o qual se encerrou o primeiro dia do Parlamento dos Jovens

 “Grupo Coral Kyrios”

No segundo dia, 8 de Maio de 2012,pelas 9h 30min, todos os deputados e os restantes membros da atividade do Parlamento dos Jovens, concentraram-se na Sala do Senado, devidamente separados, dando início á sessão de apresentação de perguntas a Deputados de diferentes grupos Parlamentares, nomeadamente, Isilda Aguincha (PSD); Maria Gabriela Canavilhas (PS); Michael Seufert (CDS-PP); Miguel Tiago (PCP); Ana Drago (BE) e Heloísa Apolónia (PEV).

A sessão teve início com um breve agradecimento, e pedido de desculpasrelativo ao pequeno atraso, por parte do Vice-Presidente da Assembleia da República, Guilherme Silva, seguido do Secretário de Estado do Desporto e Juventude, Alexandre Miguel Mestre.

Posteriormente, deu-se início ao período de perguntas por parte das várias comissões, que incidiram, essencialmente, na alteração dos currículos escolares (Formação Cívica); o aumento da produção agrícola; o interesse partidário e o interesse nacional; as restrições orçamentais; perspetivas para o emprego dos jovens; o aumento dos impostos e por fim, as consequências resultantes das eleições francesas, para a Europa e Portugal.

Após as respetivas respostas dos deputados, os jornalistas dirigiram-se á entrada da sala, onde questionaram/ entrevistaram os deputados. Abordaram-se temas como o efeito das medidas sugeridas na atividade do Parlamento de Jovens, na Assembleia (à qual foi respondido que as medidas desta atividade eram extremamente importantes, uma vez que os partidos não estão habituados a lidar com as redes sociais, pelo que os contributos dos jovens são muito eficientes no combate á discriminação), mas também assuntos relacionados com o aumento das turmas, entre outros.

 

Terminado o período de perguntas, seguiu-se a conferência de imprensa com o Presidente da Comissão de Educação, Ciência e Cultura, o Dr. José Ribeiro e Castro.

Na sequência das áreas a cargo do presidente, surgiram questões relacionadas com a conclusão dos estudos; o aumento das turmas; o pagamento das propinas;

“País não tem recursos para suportar uma educação totalmente gratuita”

 

o insucesso  escolar; a qualidade das Universidades portuguesas; a economia; o rentabilizar dos recursos financeiros;

 

“É importante que o país recupere economicamente”

 

as obras escolares; a liberdade de Expressão e o desemprego.

 

“ A participação cívica é muito importante”

“ … fazer mais com menos…"

 

Após a conferência, sucedeu-se o almoço, desta vez, no claustro do palácio de S. Bento.

Finalmente, os jornalistas regressaram de novo á sala do Senado, onde se concluiu o debate e se procedeu à votação final global da Recomendação. Foram aprovadas as medidas 1,3,5,7,9,11,14,15 e 16, tendo as restantes sido eliminadas do projeto.

A sessão foi encerrada com um discurso de agradecimento do Presidente de mesa, Guilherme Vilhas, e posteriormente, com uma saudação e agradecimento do Presidente da Comissão de Educação, Ciência e Cultura, que deu por terminada a sessão do Parlamento dos Jovens.

 

JORNALISTA: Carolina Guarino, aluna da turma B do 8º ano

publicado por jornalpjm às 12:29

29
Mai 12

O Departamento de Ciências Sociais e Humanas apresentou, em colaboração com a Sinagoga de Lisboa e com a Embaixada de Israel, uma exposição subordinada ao tema “Holocausto – não foi uma brincadeira de crianças”, na Biblioteca da Escola Básica Pedro Jacques de Magalhães, entre os dias 21 a 24 de maio de 2012.

 

Constituída por 16 painéis, esta mostra na temática do racismo e xenofobia presente ao longo da II Guerra Mundial pretendeu divulgar e sensibilizar os alunos para a necessidade de se desenvolverem sentimentos de tolerância/civismo no contacto com outras culturas e ideologias.

publicado por jornalpjm às 21:59

24
Mai 12

 

 

  Em 25 de Abril de 1974, conta-me o meu pai que tinha 19 anos, e já estava recrutado para cumprir o serviço militar, seguindo para a guerra colonial.

  O que acabou por não acontecer graças a um grupo de jovens capitães revoltosos, fartos da guerra colonial e da ditadura conservadora fascista, implantada por Salazar e seguida por Marcelo caetano, o povo permanecia na ignorância sem saber o que significava a liberdade. O movimento dos capitães do Abril prepara cuidadosamente o plano concebido pelo Major Otelo saraiva de carvalho, que envolveu um considerável número de unidades militares de norte a sul do pais.

 

    Estabelecido o posto de comando das forças revoltosas e difundidas as canções, "E Depois do Adeus" e “Grândola vila morena” que funcionavam como senha para o início da revolução, as unidades “rebeldes” procuraram rapidamente apoderar-se de pontos estratégicos da cidade de lisboa. Num segundo momento, uma coluna da escola pratica de cavalaria, proveniente de santarém, comandada pelo capitão Salgueiro Maia, isola a praça do comercio e corta o acesso ao banco de Portugal e aos ministérios. A rápida atuação das unidades afetas ao movimento das forças armadas apanha as forças do regime completamente desprevenidas. As que tentam opor-se desmoralizadas e desmotivadas perante a determinação de Salgueiro Maia passam para o lado dos revoltosos.

As forças da escola de cavalaria deslocam-se para junto do Quartel do Comando – geral da GNR, no largo do Carmo, para obter a rendição de Marcelo Caetano que ai se tinha refugiado a concelho de Silva Pais, diretor da polícia politica (PIDE).Apos algumas tentativas de negociação o general Spínola, mandatado pelo MFA e aceite por Marcelo Caetano, entra no quartel e obtém a rendição do presidente do concelho.

 

Consta que durante o período de negociação em que os ânimos estavam mais exaltados, passou uma vendedora de flores e ofereceu um cravo vermelho a um dos soldados e colocou-o no cano da espingarda. Este gesto foi seguido pelos companheiros de luta evitando algum derrame de sangue, e assim ficou conhecida na história como a revolução dos cravos vermelhos.

 

                                             

 

Texto de: Maria Lopes

Ediçao de:Inês Neves e Débora Patrícia 

publicado por jornalpjm às 12:43

10
Mai 12

 

 

No passado dia 22 de Março, entre as 9:15 e as 16h:00 horas, realizou-se uma visita de estudo ao Museu de Etnologia e ao Museu Coleção Berardo, com as turmas B,C,F,G e H do 5.º ano e a turma D do 6º ano. A atividade foi dinamizada pelos professores de Educação Visual e Tecnológica Álvaro Antunes, Ana Loureiro, Ângela Passarinho, Margarida Fernandes e Paulo Tavares e teve como objetivos: Mobilizar saberes culturais, científicos e tecnológicos para compreender a realidade e para abordar situações e problemas do quotidiano; pesquisar, selecionar e organizar informação para a transformar em conhecimento mobilizável; usar adequadamente linguagens da área do saber cultural, científico e tecnológico para se expressar; adotar metodologias personalizadas de trabalho e de aprendizagem adequadas a objetivos visados; compreender o movimento como mudança de posição no espaço; abrir novos espaços de aprendizagem complementar à vida escolar dos alunos e aumentar a formação dos alunos nas áreas da cultura artística.

 

             

         

 

 No primeiro momento da visita de estudo – Monstrinha - pelas 10:30 horas, os alunos assistiram a uma sessão infanto-juvenil, mostrando o que de melhor se realiza em vários países. Por volta das 12 horas, dirigiram-se para o Parque dos Moinhos de Santana no Restelo para o almoço. Pelas 12:45 horas deslocaram-se ao Centro Cultural de Belém, para visitar o Museu Coleção Berardo. Os alunos e professores foram divididos em vários grupos e, acompanhados por monitores participaram numa viagem de exploração pelas exposições, procurando pistas que ajudavam a descobrir os segredos das diversas obras de arte “A minha primeira vez no museu de arte contemporânea”.

O regresso à Escola deu-se por volta das 16:30 horas.

 

Editado por: Maria Ribeiro e Maria Lopes da turma do 6ºG

 

 

 

publicado por jornalpjm às 12:54

Maio 2012
Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab

1
2
3
4
5

6
7
8
9
11
12

13
14
15
16
17
18
19

20
21
22
23
25
26

27
28
30


subscrever feeds
Visitantes
Contador de visitas
mais sobre mim
pesquisar
 
blogs SAPO