Este Blogue transmite notícias/informações sobre as escolas do Agrupamento Pedro Jacques de Magalhães de Alverca, a toda a Comunidade Educativa.

09
Abr 13

Na sequência da apresentação de um livro, em que a responsabilidade da obra escolhida recaia sobre o próprio aluno, Patrícia Rosa do 8º H, brindou todas as mães com esta bonita homenagem.                                                                                         


Porque Mãe é só uma                            

Desde que eu nasci tenho sido como um livro para a minha Mãe, daqueles livros em que mal se pode esperar para virar a página e ver o que vem a seguir. Para qualquer Mãe nós somos a sua princesa ou o seu príncipe. Não somos a perfeição, mas sim mais que isso. Nós, os filhos, somos o motivo de orgulho dos nossos pais, não tanto pelas coisas que conseguimos facilmente, mas sim por termos lutado para atingirmos os nossos objectivos, como recompensa.

Cada mulher que é Mãe já teve: duas cabeças, quatro mãos, quatro pernas, dois corações a bater e ainda dois ADN’s diferentes, enquanto nós ainda não conhecíamos o mundo exterior. Apesar de termos gostos diferentes, cada uma precisar do seu espaço e capacidades diferentes, estamos ligadas uma à outra.

Todas as Mães gostam de recordar o passado, de quando éramos pequenos, e agradecem-nos por termos acreditado que os seus bolos de aniversário eram mágicos, os seus desenhos eram fantásticos e ainda as histórias que elas inventavam eram as melhores do mundo. Quando éramos mais novos, com um beijinho, a Mãe curava-nos os dói-dóis. Com fita-cola, agulha e linha, elásticos e alfinetes, a minha Mãe recolava os olhinhos das bonecas, as suas pernas ou os seus braços. Mas agora há coisas que ela já não consegue juntar de novo, curando com um simples abraço. O que é devido e prometido é que cada Mãe pode estar ao nosso lado, para sempre.

Tantos, tantos, tantos desejos que as Mães nos desejam, especialmente que nós levemos todo o amor que nos une para um mundo que elas nunca irão conhecer e que quando formos velhinhos possamos dizer: “Obrigado pela vida maravilhosa que me deste”. Não podemos assim, considerar que a nossa Mãe é má, só por não nos dar um jogo para a Playstation ou uma mala que está na moda, pois qualquer boa Mãe sabe que não deve dizer que sim a todos os pedidos do filho, mas sim educá-lo para na vida não sofrer. Sabe que tem de lhes indicar o caminho, ensinar que na vida pode haver espinhos e ensinar a lidar com os problemas, pois ser Mãe não é só dar à luz, é ser a Luz.

Todos nós sabemos que qualquer Mãe beberia as lágrimas da nossa vida inteira, só para não nos ver chorar, qualquer Mãe diria que não gostava de chocolate, se existisse apenas uma fatia de bolo de chocolate, só para nos dar o melhor e o maior conforto, qualquer Mãe faria o possível e o impossível para nos dar tudo, e por isso devemos-lhe a nossa vida.

Nenhuma língua é capaz de expressar a beleza e a força de uma Mãe, pois esta é a palavra mais bela pronunciada pelo ser humano. O meu aplauso para a Mãe de cada um de vós, que tem feito um óptimo trabalho a vida inteira.

 

 

Editado: Sandro Miguel

publicado por jornalpjm às 12:00

Abril 2013
Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab

1
2
3
4
5
6

7
8
9
10
11
13

14
15
17
18
19
20

21
22
24
25
26
27

28
29


Visitantes
Contador de visitas
mais sobre mim
pesquisar
 
blogs SAPO