Este Blogue transmite notícias/informações sobre as escolas do Agrupamento Pedro Jacques de Magalhães de Alverca, a toda a Comunidade Educativa.

27
Jun 11

 

As professoras de Língua Portuguesa do 3.º ciclo dão a conhecer os poemas vencedores da Final do concurso Poesiapontocom e agradecem a todos os que participantes.

 

Para ti

 

Fizeste-me acreditar no possível e no impossível,

Que contigo eu teria uma vida insubstituível;

Não sabia no que estava a pensar,

Pois não me lembrava da hipótese de um dia me vires a magoar;

Sentia que eras tu e só tu que me fazias feliz,

E que podias ser aquilo que eu sempre quis;

Sentia que nunca me podias vir a desiludir,

O que me dava vontade de não desistir;

Sentia que eras o melhor do mundo,

E não parava de pensar em ti um só segundo;

Sentia que podias ser diferente,

Mas as coisas mudaram de repente;

Acabaste com todos os meus sonhos e fantasias,

Mas proporcionaste-me das maiores alegrias;

Fizeste-me tanta vez crer,

Que eras quem aparentas ser;

Olhavas para mim de uma forma que eu adorava,

Apesar de eu agora saber o que isso significava;

Nada mais que falsos olhares, falsas promessas,

Que me fazem chorar, mesmo que tu não o peças;

Sou sincera, foste uma grande desilusão,

No fim, acabaste por partir o meu coração;

Foi por ti que eu senti mais forte, e

Nas minhas esperanças, fizeste um grande corte;

Não sabes, mas magoaste-me profundamente,

Fizeste-me cair à terra, da forma mais indecente;

Nunca pensei que fosses assim,

Agora, só quero que chegue o fim;

Não suporto mais esta dor,

Quero que tudo acabe, seja de que maneira for;

Neste momento, quero seguir em frente,

E quero aproveitar ao máximo o presente;

Pelo menos, gostava de te ter como amigo,

Porque até nem me importava de te ter comigo;

E pensar que o que vivemos não passou de uma mentira,

Que de real não tinha nada, e que só eu a sentira.

                    

                                                                Ana Ferreira, 9.º  D

 

A Vida

 

 A vida dá voltas

 Que não se consegue perceber.

 Quando tudo está bem

 Algo tem de acontecer.

 A vida é um jogo

 De sentimentos e emoções!

 É o despertar da nossa alma,

 É o aquecer dos corações.

 Perder ou ganhar,

 Não podemos escolher;

 A vida é dona de si

 E não a podemos contradizer.

 Quando perdemos algo

 É que lhe damos valor…

 São as coisas da vida

 Que nem sempre estão a nosso favor.

 Tragédias acontecem,

 Bem-aventuranças também…

 A verdade é que o dia de amanhã

 Não é conhecido de ninguém.

 Há coisas que apimentam a vida,

 Deixando um sabor delicado,

 Como a pimenta na comida,

 A adrenalina é o alimento dourado

 Que dá gosto e prazer

 E aos céus nos faz ascender.

 Quando o perigo é alucinante,

 O sangue corre apressadamente…

 Nem temos tempo para pensar,

 Só para correr em frente.

 A vida nunca pára

 Nem na hora de dormir.

 Sonhamos com fantasias variadas

 Que nos tiram o sono

 E que nos fazem rir

  

                                            Leila Matos, 8.º C

 

 

Chegou ao fim

 

Escrevo numa folha

Tudo o que quero dizer

Olho à minha volta

Não estás aqui para me ver

Oiço o puro som do vento

Também ele a reclamar…

Tudo o que eu quero

É simplesmente voltar

Num papel em branco

Já não tenho nada para dizer

Neste momento não quero falar

Vem comigo, vamos apenas voar

Dá-me a tua mão, enlaça-a na minha

Preciso tanto de ti,

Não me deixes assim

Sozinha…

                                             Diana Matos, 7.º  F

 

 

 

publicado por jornalpjm às 21:42

Junho 2011
Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab

1
2
3
4

5
6
7
8
9
10
11

12
14
15
17
18

19
20
22
23
24
25

26
28
30


Visitantes
Contador de visitas
mais sobre mim
pesquisar
 
blogs SAPO